Cores na arquitetura: descubra o significado de cada uma e como escolher a cor ideal.

A cor é elemento integrante da arquitetura, não apenas estética, mas com importância psíquico-sensorial. Em projetos infantis, cores são utilizadas com a finalidade de aguçamento psíquico sensorial da criança. Em projetos hospitalares ou dedicados a área da saúde, são empregadas como elemento complementar da reabilitação de pacientes. Em projetos urbanos são por vezes utilizadas a fim de trazer certa vivacidade e renovação local. A cor está intimamente ligada a estímulos psicológicos e pode ser trabalhada em conjunto aos volumes, aberturas e recuos, propiciando um conjunto de emoções ou efeitos visuais. 
No livro A Psicologia Das Cores, de Eva Heller, após uma pesquisa realizada com mais de 2.000 pessoas, conseguiram demonstrar que cores e sentimentos não se combinam ao acaso e nem são uma questão de gosto individual – são vivências comuns que desde a infância foram se enraizando em nossa linguagem e pensamento.
Então para entender o efeito psicológico que uma cor pode causar, é necessário observar o contexto onde ela está inserida, e analisar toda simbologia que pode estar atrelada à ela. Acerca da psicologia das principais cores, organiza-se a seguinte ideia:

Azul: Transmite a sensação de positividade, confiança e segurança. É frequentemente utilizada em espaços comerciais e/ou de negócios, como agências bancárias, escritórios e empresas.
Amarelo: Conduz à ideia de otimismo, curiosidade, jovialidade e ambiente-luz. Utilizado frequentemente em espaços comerciais ou restaurantes sob a finalidade de aguçar a atenção do pedestre.
Vermelho: A cor evidencia energia, excitação, impulso. Por isso, é regularmente empregada em espaços comerciais, como lojas ou fast foods, por exemplo, buscando a ideia de compulsividade e desejo ao consumo.
Verde: Evoca calmaria, tranquilidade, serenidade e bem-estar. É utilizado com regularidade aos espaços ligados à saúde e tratamento, como hospitais, clínicas, spas, etc.
Laranja: Como resultado da combinação do amarelo e vermelho, dispõe a ideia de intensidade, criatividade, euforia e entusiamo. Frequentemente empregado aos ambientes criativos, como escritórios, estúdios e escolas. Se utilizado junto ao azul, transmite a ideia de impulsividade junto a confiança, sendo adotado por agências bancárias ou sedes de empresas, por exemplo.
Violeta: Transmite bem-estar, calmaria e suavidade. Considerada ainda cor fria, ela estimula nosso lado psíquico e espiritual, lucidez, equilíbrio nas atitudes. Está ligada à ideia de saudade, ciúme, sabedoria, respeito e espiritualidade.
Marron: É uma cor que simboliza melancolia, mas também resistência e vigor. Tem relação com tons de terra e como tem relação com muitos materiais naturais, como madeira, lã, couro, é uma das preferidas no âmbito residencial.
Branca: O branco representa a paz, pureza, limpeza, estabilidade, luminosidade, simplicidade. Não precisa ser utilizado como cor predominante, e combina com todas outras cores. Traz bastante luminosidade ao ambiente, simplicidade e induz à ordem e organização, mas em excesso pode se tornar irritante.
Cinza: Resultado da mistura do preto com o branco, posiciona-se entre a luz e a sombra. É passivo, sem vida, não relaxa nem anima, não interferindo nas sensações. Por esse motivo é bem empregado junto com outras cores.
Preto: O preto é uma cor sofisticada, imponente. Possui a propriedade física de absorver quase todos os raios luminosos que incidem sobre ele, por isso pode literalmente esquentar o ambiente. Pode transmitir a sensação de seriedade e prudência, mas combinado com outras cores, traz uma sensação alegre.