Acerte na Pintura: 9 Dicas valiosas para escolher a tinta certa para cada tipo de ambiente.

O universo das tintas é amplo, composta por uma infinidade de cores, além de uma grande variedade de acabamentos e modelos. Com algumas dicas simples, é possível esclarecer as dúvidas sobre o assunto e garantir ambientes lindos. Para isto, listamos informações importantes para ajudar nesta escolha:

 Com que tinta eu vou?

Divididas em três tipos – econômico, standard e premium. As opções de látex (também chamadas de PVA ou acrílico) são as mais usadas na pintura imobiliária. A classificação depende do tipo e da quantidade de resina, que influem nos resultados alcançados, estabelecidos na norma técnica NBR 15079.

Econômico

É indicado apenas para ambientes internos – as fachadas, sujeitas a intempéries, pedem tintas mais resistentes. Oferece acabamento com brilho ou semibrilho e cobre ao menos 4 m² por litro. O preço é vantajoso.

 Standard

Vai além do interior, colorindo o lado externo. É produzida também na versão acetinada. Rende ao menos 5 m² por litro.

 Premium

Com formulação enriquecida, apresenta rendimento superior, de no mínimo 6 m² por litro, poder de cobertura e durabilidade maiores

 2. Tinta acrílica

Ideal para paredes de alvenaria, a tinta acrílica funciona bem em ambientes internos e externos. Existem três acabamentos disponíveis: acetinado, semi-brilho e fosco. O material é de fácil lavagem, basta um pano úmido para fazer a higienização – diminuindo a necessidade de manutenção. Para evitar bolhas durante o processo de secagem, antes da pintura, é importante verificar se as superfícies estão devidamente impermeabilizadas.

3. Tinta esmalte

Usada para superfícies de madeira e de metal, a tinta esmalte é mais resistente e tem tempo maior de secagem. Geralmente feita à base de óleo, costumam ser indicada para portas, rodapés, mobiliários e corrimões. Também é possível encontrar tinta esmalte a base dàgua, contudo o acabamento não é tão liso e na comparação com a tinta esmalte é menos duradoura.

4. Tinta látex

Indicada apenas para ambientes internos, a tinta látex tem base d’água e secagem rápida. É uma ótima opção para aplicação em gesso, tem características de resistência ao mofo, mas apresenta um leve odor. No momento da pintura, é importante certificar que a superfície de aplicação esteja bem limpa.

5. Tinta epóxi

Por apresentar alta resistência ao atrito, a tinta epóxi é a melhor opção para ambientes de grande circulação, como garagens, hospitais, quadras esportivas e escolas. Sua aplicação vai além das paredes, pode ser usada como revestimento para o chão, sendo bem mais econômica que o piso.

6. Fosco, brilho ou textura?

O acabamento fosco é ideal para ambientes mais discretos e ajuda a esconder leves imperfeições da parede.

O oposto acontece com o brilho, o modelo destaca a textura da superfície onde foi aplicado. Não há necessidade de acabamento e sua manutenção e limpeza são mais práticas.

Por fim, a textura é a escolha certa para quem deseja criar diferentes formas e acabamentos. Existe uma infinidade de desenhos para aplicação deste tipo de tinta, que também oferece alta durabilidade e protege a alvenaria da umidade.

7. Cores e acabamentos

Os tons claros combinam com todos os tipos de acabamentos, mas o mesmo não acontece com os escuros. Para tonalidades mais fortes, como o vermelho, o ideal é não utilizar acabamentos brilhantes! Nestes casos, finalizações mais discretas, como a fosca, são mais indicadas.

8. Áreas externas

A exposição a intempéries é maior em ambientes externos. Por isso, para estes lugares, tintas com textura, a cal e emborrachadas são excelentes.

9. Planejamento

Antes de começar qualquer reforma, é importante analisar o cômodo, o tipo de material e o estado das paredes. Em cozinhas, as tintas resistente e de fácil lavagem facilitam o dia a dia do morador. Nas salas, os tons discretos corroboram para esconder imperfeições e são mais aconchegantes.